segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Antes de nascer o mundo.

A família, a escola, os outros, todos elegem em nós uma centelha promissora, um território em que poderemos brilhar. Uns nasceram para cantar, outros para dançar, outros nasceram simplesmente para serem outros. Eu nasci para estar calado. Minha única vocação é o silêncio. Foi meu pai que me explicou: tenho inclinação para não falar, um talento para apurar silêncios. 
Escrevo bem, silêncios, no plural. 
Sim, porque não há um único silêncio. 
E todo silêncio é música em estado de gravidez." -


Mia Couto