terça-feira, 26 de junho de 2012

Me deixa

Intrigante a sincronia de algumas almas - mesmo quando se pensa haver apenas dissonância.
Eu nem sempre caibo no que desejo; Percebi  isso já faz algum tempo e  nem me assusto mais. Eu não caibo, mas eu  coincido e sincronizo ás vezes.
E é fato, isso não me faz mais infeliz, veio como o  alento para o fato de estar crescida. 
Houve a época em que eu me debatia, conseguia seguir negando e a sensação de conforto durava segundos, e depois enxergava os fatos com uma dissonância monstruosa.
Sou teimosa, sou autoritária, não sei mais namorar, tenho dificuldades em me relacionar emocionalmente, mas, eu  não minto, simplesmente porque não sei, se soubesse, mentiria sim, faria a minha vida mais fácil, se eu soubesse mentir, seria uma cretina e sairia por aí oferecendo ações, palavras desejadas, comportamentos apropriados, postura subserviente. Seria  a menina fácil, previsível, constante, estaria casada, com filhos e assando bolos.
Mas, sou intensa, insana, imediatista. Isso é quem eu sou.


Exijo o que ofereço. Sempre.
E eu sei o que é sentir a dor de sermos quem somos. E sei também o que é conquistar o prazer de ser quem eu sou.
Sou ? estou?
Qual o período? Quais as cláusulas? Quais as exclusões? Quais as garantias?
 Sei lá. Tenho respostas não, nem planos, nem estratégias ou grandes expectativas.
Me mantenho nos paralelos, tentando estar presente nas vias principais.
Quando eu quiser, como eu quiser, por quem eu quiser e da forma que eu puder.
Não caibo na hipocrisia, não caibo.




Não tô e tô aqui de bobeira.
.