segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Eu super me aceitei





ÉPOCA – Você se sente curado?
Reynaldo Gianecchini – A operação de medula para mim foi um renascimento. Meu transplante é um pouco menos cabeludo do que os que se fazem com a medula de outra pessoa, quando pode rolar uma rejeição. Eu super me aceitei (risos). Meu transplante foi nada mais que uma quimioterapia muito pesada. Eu sabia que seria duro, mas não tinha noção. É uma quimioterapia que mata sua medula, aí você toma suas células de novo, as que foram salvas e são sadias. E essas células vão se reproduzindo para formar uma nova medula. Foi o único momento de meu tratamento em que eu pensei, caramba, será que aguento isso? É muito penoso. Seu corpo inteiro, por dentro, fica em carne viva. Não para nada dentro. Você come, vomita, tem diarreia. Comer ainda está uma briga, porque eu não tenho apetite.

Eu super me aceitei...Essa declaração do Gianecchini é um resumo tão bonito da vida, da nossa capacidade de se reiventar e se reamar e continuar e remar, apesar e (por) tudo e todos.

Eu chorei, eu chorei, e vi tds os pelos do meu corpo eriçados, minha respiração suspensa, minha mente se perder e foi um choro tão bonito, tão singelo, tão sincero e necessário e desconfio q eu tenha sentido a minha mãe rindo lá no alto pra mim...


Muitas coisas boas p vc Gianechini e pra todos nós no dia de hoje e que possamos viver o hoje.



Entrevista completa e emocionante, Aqui!