segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Fale devagar...eu entendo depressa...



O final da admiração é um dos sentimentos mais contraditórios de que se tem notícias...
 Ao mesmo tempo em que você respira aliviado por saber que aquela pessoa já não mexe com seus mais profundos e nobres anseios, surge o vazio, a incerteza...
Será que somente você via aquilo? Será que a pessoa em questão nunca deixou de ser algo medíocre (no sentido de mediano) e destituído de todos os encantos que antes a paixão forjava?
Não há nada mais aflitivo e libertador do que o final da admiração...
E, a menos que aquela pessoa salve alguém nos trilhos do metrô ou realize algum ato realmente heroico, ela jamais deixará de ser alguém que perdeu o que de melhor você poderia oferecer.
O melhor...