segunda-feira, 16 de abril de 2012

Te encontro na fé









Ela passava a limpo a  sua própria lista de  desejos deixados de lado. 
Eu percebia.
Ela achava que estava bem oculto, mas se tem uma coisa que eu aprendi é sentir quem eu amo.
Eram lindos, mesmo. 
Vi muitos, tantas vezes, sem nem olhar os seus olhos. 
Muitas  vezes, ela estava lá tomando café, mas eu via, naquele segundo distraído em que o olhar se perdia na parede do outro lado da sala.
Ela nunca os descreveu, mas eu via com quase todas as suas  cores.



Meu grande, eterno e maior amor...


Saudade louca desse seu olhar tão sonhador.