quarta-feira, 30 de maio de 2012

Procura-se vaga


O  coração tá com uma precisança de um novo lugar, um lugar novo pra morar;
Um lugar novo pra descansar, criar, amar;
Um lugar onde ele não precise  defender-se de ninguém;
Um lugar, onde ele não precise procurar a proteção para si mesmo;

Um lugar onde não haja possibilidades de monólogos estranhos cheios de equívocos e sentimentos embolados em função de  mal entendidos, mal sentidos, mal assimilados;
Um lugar simples, acessível, quente. 
Tamanho, dimensões,  m² não serão diferenciais;
Um lugar para a aceitação, a verdade;
A ironia, até será bem aceita desde que traga o bom humor...
Não quer um lugar para jogos, estratégias, esconde - escondes, adivinhações,  informa também que o seu lado criança, a sua visão lúdica da vida permanece inalterada, íntegra, mas esse lado, essa versão ingênua somente dialoga com um ambiente onde esteja a  segurança e tranqüilidade. 
E por esse encontro ser tão raro, ele resolveu ser objetivo e  perdeu interesse pelos jogos, apostas, estratégias;
Ele precisa de  um lugar que receba de bom agrado todos os seus anseios, todos os seus melhores sentimentos e o sinistros também;
Ele aceita permuta e recebe traumas antigos como parte do pagamento e ainda os regenera e encanta-os. 
Ele pede com toda gentileza para quem não estiver dentro do perfil descrito, não perca tempo com retóricas memorizadas ou quartas intenções destiladas;
E ele informa tres coisas:
Ele precisa mesmo desse lugar;
Ele  não tem pressa em encontrá-lo;
E  não aceitará nada menor que o seu Lugar. 

A quem interessar possa.